O Verbo

sexta-feira, 18 de maio de 2012 1 comentários

O Verbo

O Verbo é uma criança sábia que não cresce 



O que me faz andar é o verbo
O que me faz correr é o verbo
O que me faz sorrir é o verbo
O que me faz chorar é o verbo

Faz-me escrever é o verbo
O que me faz cantar é o verbo
O que me faz te amar é o verbo

O que me faz mover é o verbo
No “infinito”, no “infinito”
No azul do céu bonito

No verbo eu vou eu sou
No verbo eu sou eu vou
Faz-me voar é o verbo

Epifânia não é verbo
Mas me faz mudar é verbo
No “infinito”, no “infinito”
No azul do céu bonito

O que faz morrer é verbo
Porém, depois não há mais verbo
O Verbo fez, o Verbo faz
O Verbo desfez, o Verbo desfaz

O primeiro verbo é nascer
O ultimo verbo é morrer
Paradoxo não é verbo

O que me faz-te olhar é verbo
Poder te abraçar é verbo
Faz-me te beijar é verbo
O mundo girar é verbo

Faz-me te amar é verbo
No “infinito”, no “infinito”
No azul do céu bonito.

1 comentários:

  • Jane Di Lello disse...

    Poeta Ronaldo, a pouco escrevi em outro comentário que escreves com coração e alma.
    Acrescento aqui + o verbo e sua inteligencia suprema.
    Parabéns!!!
    BeiJaness neste coração de luz.
    Jane Di Lello.

Postar um comentário

Sem contemplação, o interessante é a participa-ação, Comente bem

 

©Copyright 2011 O narrador | TNB