Pular para o conteúdo principal

Agrura


Confidências de traição
Sussurros na escuridão
E lágrima solitária caía

O começo de sua maldição
Lembranças de uma ilusão
Enquanto ali sentado ele apenas via
A vida passar

Sentimentos de confusão
Lhe perturbam o coração
E a alma tão escondida vazia

A alegria em morbidão
Fragmentos de uma paixão
Enquanto ali bebendo ele apenas via
A vida passar

Seu algoz eram suas mãos
Só errava em cada decisão
As lembranças só lhe causavam grande agonia

Seu tormento em profusão
Derrotado em seu próprio chão
A esperança morta em seus braços
E ele nem sabia

Enquanto ali parado ele apenas via
A vida passar


O silêncio era um grito então
O seu corpo escória e prisão
Da alma moribunda que já nem sentia

Mergulhado em sua solidão
Pensamentos de aflição
Agonizando no peito
a alegria

Enquanto ali chorando ele apenas via
A vida passar

Palavras não curavam
A dor que ele sentia
A morte lhe tentava 
Mas o orgulho lhe impedia
Então quis rezar
E acreditar
Que Deus ouviria


Comentários

  1. Sempre belas palavras e profundas!!!!Parabéns Adoooro vc!


    Iara Ester

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo! Ler seus textos é extasiar-se na beleza com que você descreve o sentimento. Adoro vc! PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  3. Sentimentos são expostos sempre em cada palavra que vc escreve, e são sentimenos profundos com bastante esclarecimento! Parabéns meu amigo. Bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sem contemplação, o interessante é a participa-ação, Comente bem

Postagens mais visitadas deste blog

Minha menina

Por traz desta nuvem cheia de raios Existe um olhar Cheio de lágrimas
Sorriso maduro, um céu de veludo O sol se põe a descansar E minha menina vem dançar Na chuva
Vai que o mundo é Teu Gira sem se preocupar As águas que caem Lhe molham o rosto E levam as lágrimas
Por traz dessa esfera Menina tão bela Existe um coração a palpitar
Se lança no escuro, não se sabe o rumo Tem medo, precisa se arriscar Minha menina Sozinha
Vai que teu segredo é meu Vai que eu fico a te esperar As águas que caem Levam teus passos Mas não levam o meu olhar
Os passos são dela A vida que espera Minha menina vai buscar
Não olha o passado, não vê nada errado Há dores que tem que carregar Minha menina Partiu
Vai que teu sorriso é meu Vai te espero se voltar As águas que caem Molham teu corpo Levam minhas lágrimas.

Gente que se perde

Gente que se perde por distancia, gente que se perde por ir dormir pra sempre, gente que se perde por desapego, gente que se perde sem se querer perder. No fato não se perde ninguém porque ninguém nos pertence, no sentimento se perde sim... E fica a impressão mais cortante na alma, fica a marca da cicatriz mais dolorida e corrosiva, a que vira carência, fica a lembrança de um adeus e o desejo de reencontro, faz a gente produzir lágrimas, transforma os olhos em fontes torrenciais, transforma a mente em armazém de saudade. Solução? Não há, porque não é um problema, é angustia, é martírio, mas não é controlável. Nos construímos com parte que pegamos dos outros e deixando partes de nós nos lugares em que passamos, perder ou ver/deixar alguém ir, é desprender parte da alma e coração e ficar apenas com o corpo, um corpo que chama outra vez as sensações que sentira com o outro corpo que se foi, uma mente que se sente incompleta e uma alma com um buraco do tamanho da saudade.

Tudo é silenci…