Carência se cura na cama

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012 3 comentários

Carência se cura na cama  
Soa tão superficial e tão simples, 



Superficial não é, mas simples sim. 


Há momentos em que nos sentimos tão cheios, os sorrisos aparecem do nada, por uma lembrança atoa e boa nos pegamos distraídos e despreocupados sorrindo, tão de bem com a vida e com o tempo, são esses de marcas indolores por isso mal lembrados, enquanto os momentos em que nos sentimos desfragmentados, alquebrados, incompletos, insatisfeitos (carentes), são como marcas de ferro braça viva na alma, tão marcantes quanto dolorosos e tão intensos que vem uma vontade desesperadora de nada, um desejo de supressão, mas sem saber de que nem como. Há quem planeja uma viagem, trocar de endereços, realizar qualquer mudança mesmo mínima e efêmera, há quem procura os ombros de um amigo e até se alivia, mas a carência é como um vírus, uma praga que não morre, que pode ser inativo, mas que ao primeiro descuido se manifesta com mais força e violência, é a saudade de quem já provou o sabor e depois lhe é tirado o paladar. Coisa que acontece com todos os homens e todas as mulheres.
Carência precisa ser eliminada
Carente precisa de compreensão
Quem tem, teve, sabe bem como definir, sabe bem seus efeitos e sabe que não é um sentimento acomodável, nem bem vindo, não é algo que da pra conviver. Não há nada que resita a um amor sincero, real e verdadeiro, nem mesmo a carência, mas a maior carência é a de amor. Qualquer expressão do que é amor é uma dose, um antibiótico sentimental, talvez um antidoto já que o próprio é o mair veneno, um remédio para curar esse mal. 
Não há outra solução mais radical e mais eficaz e também não há outro contato direto que revele amor mais explicito, intenso e vivo do que uma sincera 'camada'. Não é apenas sexo, porque apenas e tão somente sexo é fator que aumenta o buraco da alma que é a carência, é, então, uma troca de sentimentos e compreensões, são as caricias feitas pelas mãos, pernas e bocas que vão ser traduzidas pelo coração como uma realização de desejos internos, como uma satisfação total, o apogeu e totalidade da alma, como uma supressão do corpo, mente e espírito, como uma inspiração de vida, como o insight iluminador. Se for feito com e como amor, vai ser a solução do maior mal, da sensação mais pesada e triste, entretanto pode ser a cura ou catalizador da dor, deve ser feito bem, e deve ser feito sempre (que der).

3 comentários:

  • Espelho Meu disse...

    Somos carentes de tanto doar. E essa lacuna precisa ser preenchida, suprida, reposta. E nada como o amor verdadeiro para fazê-lo. A "camada" é parte do processo de resignação da carne, mas a alma se apropria dela também. Lindo texto!

  • Camila Lourenço disse...

    Posso ser esculachada? Por isso que digo que as pessoas precisam transar mais.
    Sei que vc está falando de amor... mas, já que há tantos solitários no mundo, pq não se unem em par e se permitem ser feliz, né?
    rs

    Bem,rs..
    profundo como sempre, Ronaldo.
    Obg pela cia sempre constante em minhas postagens e obg por ter uma alma tão doe.

    Bjoo

  • Contradita disse...

    Achei a imagem gostosa.

    Fazer sexo só por fazer, é bom, pode ser muito bom.

    Fazer sexo com aquela vontade que vem da carne e do espírito, pode até não ser solução para todas as coisas, mas faz um bem danado. Delicioso, não?

    Bjo, dois.

Postar um comentário

Sem contemplação, o interessante é a participa-ação, Comente bem

 

©Copyright 2011 O narrador | TNB