Amanda na Chuva

terça-feira, 20 de dezembro de 2011 2 comentários


Por favor não me prive do barulho no chão
Não me prive da boa, molhada sensação
Não me prive de ter alma lavada
Da água caída direto do céu
Não prive de sentir de novo o gosto do lábio de fel

Amanda, Amanda! Amanda de Deus
Não imagina como meu pensamento se liga ao teu

Nossa relação, brincadeira de criança
Pura alegria, alegria pura
Nossa fantasia é dança na chuva

O mundo podia se acabar
O morte sem cessar
A fome gerada
A TV danada anunciava destruição
Mas eu e Amanda, Amanda e eu
E só brincadeira, segui corredeira
Da chuva no chão

Amanda, Amanda! Amanda de Deus
Não imagina como meu pensamento se liga ao teu

Quando a chuva cessava era voz de Deus dizendo: Fim
Amanda pra casa, o sorriso estampado dizia: Bis

Ó chuva, chame Amanda pra fora pra mim
Enquanto muitos se escondem
Eu e Amanda um romance assim

Amanda, Amanda! Amanda de Deus
Não imagina como meu pensamento se liga ao teu

Ó chuva, chame Amanda pra fora pra mim
Enquanto muitos se escondem
Eu e Amanda um romance assim 

2 comentários:

Postar um comentário

Sem contemplação, o interessante é a participa-ação, Comente bem

 

©Copyright 2011 O narrador | TNB