As mesmas coisas

quarta-feira, 6 de julho de 2011 0 comentários
As mesmas coisas
Nas mesmas ruas por onde andei






As pedras onde escorreguei
São as mesmas pedras que formam meu altar
Os corações que eu quebrei
São os corações que voltam a me amar


Sonho perdido o vento levou
Amor esquecido o passado apagou


Onde está o amor
Ele se esconde na sombra do vento
Planta no ventre da vida
Um nova alegria de uma paixão


Pela cidade de Pedra
As ruas de ouro
Muro de Cristal
E Já dizia o poeta




“Tudo é vaidade”
E nada é real

0 comentários:

Postar um comentário

Sem contemplação, o interessante é a participa-ação, Comente bem

 

©Copyright 2011 O narrador | TNB