Duas garrafas de Whisky

quarta-feira, 6 de julho de 2011 0 comentários






Meu prazer é em ti perturbar
Tirar teu sono como me aconteceu
De noite na sala de estar a garrafa de whisky vazia

Troca a roupa já vai se deitar
Os pensamentos como assombração
Abre a janela pra tomar um ar
E a garrafa de whisky vazia


Levanta-se, como era de se esperar
No relógio já são três da manha
Vai à cozinha, pela sala de estar
Outra garrafa de whisky aberta


Tenta fugir, mas não pode evitar
Das lembranças das juras de amor
Nosso primeiro beijo a luz do luar
Nosso primeiro amasso na sua sala de estar


Encara o telefone pensa em me ligar
Não tem coragem o sol ainda não chegou
As 3h30 pensa em ir deitar
Mas a garrafa de whisky aberta


As 4h15 começa a se perguntar
Se a culpa é minha ou se é sua também
Descontrolada começa a chorar
Meia garrafa de whisky vazia


Decide ver um filme liga a TV
As 5h5 não vem a distração
Vai ao banheiro, um banho não faz esquecer
Leva a garrafa de whisky na mão


As 6h15 vai se deitar


Se joga a calma começa a sonhar
Mesmo acordada os pensamentos sem direção
Em seus lençóis deseja que eu estivesse lá
Duas garrafas de whisky vazias


As 7h20 resolve se levantar, sinal vermelho na caixa postal
Atende o telefone ouve a minha voz:
Não consegui dormir, em minha sala de estar
Duas garrafas de whisky vazias
Duas garrafas pra mim e pra você



  _____________________________________________

0 comentários:

Postar um comentário

Sem contemplação, o interessante é a participa-ação, Comente bem

 

©Copyright 2011 O narrador | TNB