"O mito que se alto Destrói"

quarta-feira, 29 de junho de 2011 0 comentários
     Nesse mundinho de merda escutamos tanto sobre crenças e mitos e religiões e uma série de coisas criadas sempre no intuito de manipulação. Nasci e fui educado em igrejas evangélicas denominadas pentecostais, eu vi, fiz, pratiquei toda liturgia "sagrada", segui todos os passos, me tornei palestrante, líder de jovens, quando musico toquei e cantei toda aquela religião, ensinei, me tornei modelo para crianças e velhos, se quisesse me tornava pastor, quando vi toda mediocridade. Já entrei em depressão por causa daquilo.
Sei com bastante propriedade que de divino só é a aparência, a hipocrisia. Nas reuniões com toda a equipe chamada de "corpo de obreiros" o pastor presidente se preocupava muito com o numero de pessoas frequentes nas igrejas devido aos números de dízimos e ofertas que o tesoureiro iria apresentar no final do mês. Em algumas igrejas (imagino que na maioria) o salário do pastor é quantificado de acordo com o número de membros, dentro dessas condições ele recebe de piso à teto. Um dos temas debatidos era criar campanhas com nomes fortes e impactantes para atrair um grande numero de pessoas, dentre elas o tema mais marcante eram campanhas sobre prosperidade seguida de curas, então se eu não precisasse de riqueza nem de cura aquele deus não servia pra mim.
        Todas as religiões seguem uma linha onde pregam liberdade, acolhimento, abrigo, em toda minha vida eu não vi nada mais descriminador do que as religiões, e ainda mais os 'crentes', cheios de esteriótipos e preconceitos, onde você é demonico até se juntar a eles onde qualquer um se torna santo. 
       Quando comecei a não ignorar as perguntas existenciais, como: qual o motivo, em função de que e pra que e por que tem que ser tudo exagerado? Quando me cansei das mesmas respostas vagas e sem nexo me tornei agnóstico, imaginava a existência de um deus, totalmente imparcial que se preocupava apenas com os religiosos, oculto por causa do seu egocentrismo, quando decidi levar isso mais a sério ou destruir tudo isso em mim, me tornei ateu. Quando resolvi jogar na cara tudo de uma vez, resultou em que fui expulso de duas igrejas diferentes e alguns pastores têm medo de falar de mim porque sabem que eu não escondo o que sei e nem nomes. 
       O mundo funciona em engrenagem, o corpo, os seres, tudo milimetricamente traçado, não ignoro a perfeição da funcionalidade do físico, do pratico, mas acreditar em soberania é fazer tudo ser insignificante, embora seja em qualquer visão. Se existe um deus, tenho certeza que não é da forma como contam em bençãos e maldições condicionais, a minha vida é disso. Criaram uma histério de pseudoliberdade e tentam aprisionar o mundo dentro dela, se sou sal desta Terra estou fora do saleiro.

0 comentários:

Postar um comentário

Sem contemplação, o interessante é a participa-ação, Comente bem

 

©Copyright 2011 O narrador | TNB